Bio

 

FELIPE NEPOMUCENO nasceu em São Paulo, 1975.

Estudou na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, na New York School of Visual Arts 

e no Festival de Inverno da UFMG

Foi aluno de  Andrew Moore, Jorge Furtado, Jose Ramon Bas e Robert Mckee.

Escreveu nas revistas CEP 20.000, Cult, Inimigo Rumor, Modo de Usar & Co. e Trip, 

no projeto As Escolhas Afectivas e na coluna Risco do Caderno Prosa & Verso (O Globo).

Publicou “O Marciano” (1997), “Calamares” (1999), “Fotonovelas” (2001), “O Aquário” (2002),

"Blume"e "O velho em chamas" (2014), além da coletânea “Mapoteca” (2009).

Participou das antologias “Esses poetas – Uma Antologia dos Anos 90” (1999),

organizada por Heloisa Buarque de Hollanda ,

A Poesia Andando – 13 Poetas no Brasil”, organizada por Marília Garcia (2008)

e "Uma Espécie de Cinema", organizada por Célia Pedrosa (2019).

Entre 1997 e 2007 foi sócio da Raça Filmes - em parceria com Pedro Asbeg -

produzindo e dirigindo mais de 30 filmes de curta-metragem,

exibidos e premiados em diversos festivais de cinema no Brasil e exterior.

Entre 2009 e 2011 foi sócio da Urca Filmes

dirigindo para televisão séries como “Pet.Doc” (GNT) e "Globo Ciência".

Participou do júri do Cinesul – Festival Ibero Americano de Cinema e Vídeo (2005),

da Jornada Internacional de Cinema da Bahia (2010)

e da 23º Florianópolis Audiovisual Merscosul (2019).

Entre 2010 e 2019, dirigiu as séries “Sangue Latino”,

"A Arte do Encontro" e "Janelas Abertas" (Canal Brasil).

Dirigiu os DVDs “João Donato e Bud Shank – Ao Vivo no Rio de Janeiro” (2006),

Leo Gandelman – Sabe Você” (2008)

e “Ney Matogrosso – Beijo Bandido Ao Vivo” (2010), em parceria com Renato Martins,

além de “Marcos Nimrichter - Querência" (2012), 

"Orlando Morais e Riviere Noire - Na beira do Lago Norte" (2013),

"Ney Matogrosso - Atento aos Sinais Vivo " (2014), "Ney Matogrosso - Bloco na Rua" (2019)

e as séries musicais "Estúdio 66" e "Contradança" (Canal Brasil).

Em 2013 fundou com Tereza Alvarez a Nepomuceno Filmes.

Realizou o curta-metragem "A incrível volta ao mundo do tricolor suburbano"

- em parceria com Pedro von Krüger,

premiado como Melhor Direção no Recine - Festival Internacional de Cinema de Arquivo.

Em 2014 apresentou no Festival do Rio o curta-metragem "Caetana",

documentário sobre Ariano Suassuna,

exibido também no Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano (Cuba)

e no 20º É Tudo Verdade.

Em 2018 estreou o longa-metragem "Eduardo Galeano Vagamundo"

no  28º Cine Ceará - Festival Ibero-americano de Cinema.

Após a participação em mais de 20 festivais internacionais,

o documentário recebeu os prêmios:

"Mejor Ópera Prima Documental" no 12º Festival Cine Global Dominicano,

"Melhor Documentário Internacional" no 2º Fest Cine Pedra Azul,

"Melhor Longa-metragem" no 4º Santos Film Fest.

Em 2019, dirigiu e produziu 4 videoclipes de Marcelo Callado,

e o especial para TV "Filme Acrílico", de Nina Becker (Canal Brasil).

Estreou o curta-metragem "Estrondo", no Festival Curta Cinema,

e "Lugar de Fala", segundo documentário de longa-metragem, no Festival do Rio.

Em 2020 produziu as séries "26 Poemas Hoje" (Canal Brasil) e "Leituras na Quarentena",

diversos curtas-metragens, além de 10 videoclipes de Celeste Moreau Antunes

Estreou "Ney à flor da pele", terceiro documentário de longa-metragem, no Canal Curta!.

É aluno do curso de Graduação em Direção Teatral na UNIRIO.